A Fauna da Floresta Atlântica


A Floresta Atlântica possui uma grande biodiversidade de animais, com um alto grau de endemismo (em torno de 39%). Há muitas espécies ameaçadas de extinção. Abaixo exponho algumas das espécies mais expressivas desse ecossistema:


Mamíferos

Muriqui
Dentre os mamíferos estão vários morcegos destacando-se uma espécie branca. Dos símios destacam-se o Muriqui (Mono-Carvoeiro), que é o maior e mais corpulento macaco das Américas, e o Mico-Leão Dourado, uma das espécies mais famosas e ameaçadas do mundo. Habitam também a mata os Sagüis, os Sauás, o Macaco-Prego e o Bugio, que está ameaçado de extinção. 



Mico-leão-dourado
Bugio
Dos canídeos, o Cachorro-do-Mato é uma das espécies juntamente com o Mão-Pelada (Guaxinim), o Quati, o Jupará, os Furões, a Irara (Papa-mel), a Lontra e o Cangambá. 


Cachorro-do-mato
Jupará
Irara

Dos felinos, há o Gato Maracajá, o Gato Mourisco (ou Jaguarundi), a Jaguatirica, a Suçuarana e a Onça Pintada.   

Gato Mourisco (Jaguarundi)

Jaguatirica



Veado-mateiro
 Do outro lado da cadeia alimentar estão animais como o Veado Mateiro, o Tapiti (uma espécie de lebre brasileira), diferentes ratos-do-mato, Caxinguelês (Serelepe), Cotias, Pacas, Ouriço-Cacheiro, o raro Ouriço-Preto, Gambás e Cuícas. Ocorrem também na mata Tamanduás-mirins, Tatus e Preguiças, com destaque a Preguiça-de-coleira que hoje em dia está tão escassa e já ameaçada de desaparecimento. 


Ouriço-caxeiro
Caxinguelê


Cotia
Preguiça-de-coleira

A Anta (Tapir) é o maior animal presente nesse ecossistema. 





Aves

Jacu
Quanto às aves há uma infinidade de espécies, destacando-se algumas como o Jacu, a Jacutinga, o Macuco, a Araponga, Sabiás,  Tiês, Sanhaços, Beija-Flores, Tucanos, Pica-Paus, Araras, Papagaios, Periquitos, Corujas, Saíras, Tangarás e Gaturamos, assim como várias espécies de aves de rapina, entre elas o Gavião-pega-macaco.

Araponga
Periquito Rico

Saíra-sete-cores

Tiê-sangue

 



Répteis

Caninana
 Entre os répteis desse ecossistema estão o Teiú, um lagarto de mais de 1,5 metros de comprimento, e seus primos Calangos e Papa-ventos, de apenas alguns centímetros. Há cobras peçonhentas como as Jararacas, Jararacuçus e Urutus, e cobras não peçonhentas como Caninana, Cobra-Cipó, Suaçubóia, Cobra Dágua, Falsa-coral, Cobra-Verde e a Dormideira.



Urutu
Teiú
Um ilustre e ameaçado habitante dos rios da Mata Atlântica é Jacaré-de-papo-amarelo. Dos Quelônios, é comum a presença de cágados nas margens dos rios e lagos, como por exemplo o Cágado-Pescoço-de-Cobra.


Cágado-pescoço-de-cobra
Jacaré-do-papo-amarelo


Anfíbios

A Floresta Atlântica apresenta, também, uma incrível diversidade de anfíbios, com destaque para a Rã-Bugio, o Sapo-boi-da-serra-do-mar (Sapo-folha), o Sapo Cururu e a Perereca-de-Bromélia.

Sapo-boi-da-serra-do-mar

Rã-bugio


Invertebrados
 
Escaravelho verde
O que mais impressiona é a diversidade das espécies de invertebrados, grande parte endêmica e muitas ainda não registradas pela ciência. Dentre os mais conhecidos estão várias espécies de Borboletas, Mariposas, Cigarras, Gafanhotos, Minhocas, Aranhas, Lacraias, Formigas, Cupins, Besouros, Percevejos, Vespas e Abelhas.

Capitão-do-mato
Gafanhoto-patriota

Quanto aos animais dos ecossistemas aquáticos da Mata Atlântica, dedicaremos a eles um próximo post exclusivo.


Seguem fotos de outros animais que abordamos no texto acima:

Mico-estrela
Sauás

Cuíca
Furão

Lontra
Quati



Rato-do-mato
Cangambá



Ouriço-Preto
Mão-pelada



Suçuarana
Paca

Onça-Pintada
Tapiti

Tatu-galinha
Gato-maracajá
Tangará
Gaturamo



Beija-Flor
Tucano-do-bico-verde

Macuco
Jacutinga

Gavião-pega-macaco
Pica-pau-do-campo




Jararaca
Cobra-cipó

Sapo-cururu
Perereca-de-bromélia




No blog Entre Serras conheceremos cada uma dessas espécies de animais mais a fundo em posts futuros.



Nome do Autor

Sobre o autor: Família, amigos, florestas, montanhas, praias, bichos, música, aventura, antropologia, história, ciência, literatura, audiovisual e, lá no fundo, talvez o João. ProjetoEntreSerras

Um comentário: